Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

04

Corsan
ícone

Situação atual

Os estudos de modelagem da privatização estão sendo conduzidos por consultorias contratadas pela Corsan, com o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), contratado como consultor do Estado para acompanhar todo o processo. A privatização da Companhia busca viabilizar o cumprimento das metas do Novo Marco Legal do Saneamento, que estabelece o ano de 2033 para a universalização dos serviços de água e esgoto, exigindo grandes investimentos, e a preservação dos contratos com os municípios onde a Corsan presta serviços. Atualmente, os estudos de modelagem encontram-se em análise no Tribunal de Contas do Estado (TCE). A previsão é realizar o leilão da totalidade de ações de propriedade do Estado em dezembro de 2022.

Informações

A Companhia Riograndense de Saneamento – Corsan é uma sociedade de economia mista, controlada pelo Estado do Rio Grande do Sul, que possui 99,9% das ações.  A empresa atua na realização de estudos, projetos, construções, operações, exploração e ampliação dos serviços públicos de abastecimento de água potável e de esgotamento sanitário. Os serviços prestados pela Corsan alcançam cerca de seis milhões de pessoas, estando presente em 317 municípios gaúchos, com 96,7% de universalização na disponibilidade de água potável nas áreas urbanas administradas e 16,3% de universalização em esgoto. 

Visão Geral

O Governo do Estado anunciou, em 18 de março de 2021, a intenção de abrir o capital e privatizar a Corsan, por meio de “Oferta Pública Inicial” (IPO, na sigla em inglês), visando a capitalização da Companhia, seguida de oferta secundária de ações. Neste modelo, o Estado deixaria de ser controlador da empresa, para ser acionista de referência. A PEC nº 280/2019, que retirou a exigência de plebiscito para a desestatização da Companhia, foi aprovada em 01 de junho de 2021, e o Projeto de Lei nº 211/2021, que autorizou a privatização, foi aprovado em 31 de agosto de 2021. No dia 13 de julho de 2022, o Governo anunciou a desistência do IPO, devido a dificuldades de cronograma e à conjuntura desafiadora para a abertura do capital de empresas no País, e indicou a intenção de iniciar imediatamente os estudos para a alienação integral do controle da Companhia, através do modelo convencional de privatização.

Mais informações:

Corsan – Relação com Investidores

Projeto de Lei 211/2021

PEC 280/2019

Corsan Desestatização

Perguntas
Frequentes

Confira as principais dúvidas sobre os temas relacionados a parcerias, concessões, privatização e PPPs.

Consulte

Saiba mais

sobre o

Projeto

.RS Parcerias